Artigos

A/C de Você


Antes que você comece essa leitura, pare, pense e responda para si mesmo: qual foi a última vez que você se convidou para ir ao cinema, ao teatro ou ao bar da esquina tomar uma taça de vinho? Isso algum dia aconteceu? 

 

Há quem diga que é besteira, que não existe graça em estar sozinho, ir ao cinema ou a qualquer outro lugar na própria companhia. Já, por outro lado, tem aqueles que dedicam um bom tempo à pessoa mais importante desse universo: a si mesmo! 

 

Muitas pessoas tem medo da solidão. Mas esquecem que, para estabelecer e estreitar qualquer outra relação do lado de fora, é preciso conhecer-se ao extremo. Saber a dimensão dos seus gostos, de quais você abriria mão, caso fosse necessário, e daqueles que você realmente valoriza e não abdicaria..... Acredite: essa atitude enriquece todas as formas de convivência, motivo este que destrói muitos casamentos e laços afetivos. 

 

O “tal” do amor próprio, muitas vezes, é deixado de lado pelo medo de não estar sozinho. O que, mais cedo ou mais tarde, acaba por não oferecer as recompensas esperadas. Já dizia CS Lewis: “Não deixe que a sua felicidade dependa de algo que você possa perder”.

 

Você, acaso, já ouviu o bando de passarinhos que começam uma sinfonia todo fim de tarde no pátio da sua empresa? E o barulho da chuva, o cheiro da grama molhada? Aquele amigo que você não vê há meses, a pessoa que está agora ao seu lado... instantes, momentos! Deguste-os! São essas pequenas coisas que formam o que somos, os nossos valores, que transformam o nosso dia a dia. Dedique-se a você! Ouça o que te faz feliz! 



  • Publicado em 12/09/2013

voltar