Artigos

Deixe livre a sua criança livre


Nós somos o resultado de várias experiências somadas ao longo da vida, de diversos exemplos daqueles que nos cercam (pais, amigos, parentes, professores), de inúmeras influências que adquirimos. Ao assistirmos um desenho animado ou um filme, somos influenciados, ao lermos um livro também. Na fase da infância, nossos filtros estão mais “abertos”, captamos tudo ao nosso redor e emanamos gestos, comportamentos e opiniões com uma facilidade mais aguçada.
 
Na infância, nossa criança está mais livre e expressa com espontaneidade os sentimentos, as vontades, os gostos, as alegrias, tristezas, raiva e amor. É quando dançamos, cantamos, brincamos, sem medo algum de exposição ou julgamentos. Na fase adulta, essa criança tende a perder-se aos poucos. Ela continua a existir, mas fica escondida atrás de responsabilidades, compromissos ou medo do que os outros irão pensar.  

O resgate interior dessa criança que um dia foi livre não é algo automático, muito menos simples. Muitas pessoas não se permitem mais gargalhar, falar besteiras, cantar no chuveiro ou apostar uma corrida.

Nós somos resultado de várias “pessoas” que dialogam dentro do nosso eu. São partes dentro de nós mesmos que ditam nosso comportamento e determinam nossa maneira de pensar e agir. “Pai crítico”, por exemplo: é o nosso lado crítico, controlador, autoritário. “Pai protetor”: nosso lado caridoso, bondoso, solidário e amoroso. “Adulto”: nossa faceta responsável, que avalia a situação com bom senso, que pondera. “Criança livre”: é nossa parte mais espontânea, criativa, intuitiva, sem muitos filtros. E é através dela que devemos pensar e analisar nosso presente para, então, alinhar o futuro.

Essa criança questionava tudo. Era “por quê?” para isso, “por quê?” para aquilo. Quando crescemos nós ficamos previsíveis e até um pouco chatos. Não questionamos quase nada. Seguimos regras, sem questioná-las. Seguimos padrões e etiquetas, sem provocar algo novo.

A brincadeira e a leveza são vitais para a felicidade. Rir de si mesmo, tomar banho de chuva, andar descalço, lamber a tampa do iogurte. A quanto tempo você não faz? “Sonhar é acordar-se para dentro”, já disse Mário Quintana.  

Então, acorde pela manhã e decida sobre duas coisas: ficar de mau humor ou ser a pessoa alegre que todos querem por perto. E tenha um lindo dia. 


  • Publicado em 15/04/2014

voltar