Artigos

Quem está no comando é você!


O tão esperado final de semana chega. Eis que você acorda, ouve o barulho, vai até a janela e constata que sim, está chovendo. E forte! Qual a sua imediata reação? Já vai logo pensando que o dia será difícil, que será triste, frio ou sem graça? Ou você está do lado de quem prefere encarar com leveza e pensa: “maravilha, vou aproveitar este dia chuvoso para colocar as leituras em dia”?

 

São nos dias de chuva que nos diferenciamos! E assim é na vida (pessoal ou profissional).

 

Para alguns, o dia de chuva representa uma grande oportunidade de produzir algo novo. Mas, o que para a maioria das pessoas acontece não é o fato de não saber o que fazer diante de uma dificuldade. Muito pelo contrário! Elas sabem e inclusive tem consciência disso. Mas basta um pequeno percalço fora da rotina para ouvir aquele bendito diálogo interno e contornar a rota. É o tal sabotador, que faz de tudo para atrasar os nossos planos.  

 

Sabe aquela vozinha que você escuta no dia de chuva (que te diz para dormir mais um pouco), ou quando você está de dieta e sua mãe faz um bolo delicioso (e a vozinha gritando: “só hoje”), ou então no dia em que você tinha que entregar o relatório, mas o chefe não lembrou de cobrar (e o tal sabotador vibrando, te fazendo acomodar e deixar de cumprir o combinado). Sabotador são todas aquelas programações mentais que conspiram contra nosso equilíbrio e nossa paz interior.

 

É comum vivermos em uma zona de conforto, onde tudo é inércia, rotina e acomodação. E o sabotador quer te manter por lá. Mas esse é justamente o primeiro princípio da busca pela evolução: sair da zona de conforto! 

 

É esse sabotador interno que te faz adiar projetos, que te faz adiar a dieta, que te conduz a fazer as coisas sempre pela metade. É a academia que você contratou em um plano anual e só vai uma vez por semana. É o curso de inglês e de violão, que necessitam de prática diária em casa para aperfeiçoar o que é aprendido em sala de aula, mas você não cumpre. É aquela trilogia que você quer muito terminar de ler, mas não chegou nem à metade do primeiro da série.

 

Conscientizar-se é o primeiro passo para agir em direção à mudança. Saber da existência desse inimigo interno já é tomar uma atitude. Leve-se a sério. E cuidado com as crenças que te limitam, e de que forma o sabotador age dentro de você, usando essas crenças. Habitualmente, ele se utiliza de sentimentos como: medo, culpa, mágoa, orgulho e tristeza. A partir daí, as situações mais típicas de quem cai em suas garras são: nível alto de cobrança, crítica de desvalorização, preocupação excessiva, sensação de frustração por não conseguir controlar fatos e pessoas, ansiedade e angústia. É preciso ser forte, é preciso prática! Saber identificar quando o sabotador entra em ação e renegá-lo é uma grande conquista. Ele está de plantão! Canalize sua energia para tomar as próprias decisões, sem deixar que aquela vozinha fale por você!     Conversar com ele, dizer que agora você está no comando, que agradece pelas suas investidas, mas quem escolhe é você. Essa atitude de meditação é um dos caminhos para adquirir consciência e domínio sobre suas ações. “O homem que não sabe dominar os seus instintos, é sempre escravo daqueles que se propõem satisfazê-los.” Gustave Le Bom. Somente conhecendo bem esse terreno do inconsciente, podemos transformá-lo positivamente, em favor do nosso bem-estar emocional.

 



  • Publicado em 03/09/2013

voltar